• Cuidados Pessoais
    18 de agosto de 2011 | Por Juan Alves
    Recentemente for ao ar na TV, o comercial do novo antitranspirante Energy Dry.
    Ele se trata de uma fragrância mais exótica que as demais já existentes, acrescentando a linha de antitranspirantes da Dove Men + Care.
    Nessa semana mesmo, recebi um Press Kit contendo as versões em aerosol e roll-on e pude experimentar o novo antitranspirante, composto por ingredientes misturados como gengibre, pimenta verde da índia, pimenta negra de madagascar, flores, musk e âmbar.
    A fragrância é suave, não “briga” com o perfume e também não possui notas marcantes que nos fazem pensar algo do tipo “vou comprar aquele desodorante pelo cheiro excepcional!”.
    No quesito proteção, é excelente, assim como os demais itens já existentes, que se não me falhe a memória, já recomendei em algum post por aqui também há algum tempo atrás.



    Ah! Como pode-se perceber, uma necessaire bem maneira veio junto! =)

    Leia também

    Comentários Comentários
    2 comentários
    Juan Alves, em 30 de dezembro de 2011

    Não entendi onde você quis chegar, pois o estudo é inconclusivo…


    Iasmim e Alan Crispim Alencar, em 19 de dezembro de 2011

    Parecer Técnico sobre o Uso de Antitranspirantes e sua Relação com Câncer de Mama pela ANVISA de 4 de julho de 2001.
    A
    transpiração assume importante ação no mecanismo fisiológico relativo
    aos processos de regulação da temperatura corpórea (homeostase) ou seja,
    procurando manter o estado de equilíbrio entre as variações de
    temperatura corpórea e a do meio ambiente.
    Shelley e col. (10)
    propuseram que alguns sais metálicos se combinam às fibrilas de
    queratinas intraductais causando fechamentos dos ductos écrinos e a
    formação de uma “rolha” córnea e assim, obstruindo o fluxo de suor para a
    superfície da pele. Papa e col. (8) apresentaram evidências de que os
    antiperspirantes contendo sais de alumínio podem alterar o estado
    fisiológico do ducto sudoríparo, através da formação de um molde de
    alumínio no seu interior, ou seja, devido a formação de um bloqueio
    físico prevenindo, dessa forma, o fluxo do suor existente. Presumiu-se,
    ainda, que a secreção pudesse ser reabsorvida pelo ducto. Segundo os
    referidos autores, a alteração acima referida não causa danos à saúde em
    razão da grande quantidade de outras glândulas écrinas às quais
    asseguram os processos envolvidos na termorregulação.
    a incidência
    de câncer observada neste quadrante é um pouco maior, mas a explicação é
    simples. É justamente ali que encontramos a maior quantidade de tecido
    mamário e, portanto, é uma área com maior possibilidade para
    desenvolvimento da doença. É importante lembrar que, a drenagem
    linfática da mama não ocorre apenas na axila, mas em outros locais, como
    mediastino e peritônio (áreas no tórax. Após avaliação dos dados
    apresentados na literatura cientifica, de divulgação e orgãos de
    regulamentação, podemos inferir que até o presente momento não foram
    apresentados dados capazes de inferir a relação sais de alumínio /
    incidência de câncer de mama.
    http://www.anvisa.gov.br/divulga/informes/antitranspirante.htm