• Nutrição e Fitness
    14 de dezembro de 2011 | Por Juan Alves
     Quem aqui nunca executou os mesmos exercícios na academia, sem sequer alterar uma “vírgula” no treino durante vários meses? 
    Pois bem, isso não é nada legal porque o corpo se adapta aquele estímulo gerado pelo exercício e o esforço já não se torna tão válido.
    Por isso, é interessante ficar ligado para saber em qual momento aquele estímulo já não gera tantas adaptações no organismo. Para identificar, basta analisar se o exercício é de fácil execução, ou seja, não gera esforços consideráveis para executá-lo.

    Se sim, com certeza está na hora de rever algo seu treino com o personal trainer.






    Há diversas formas de alterar os exercícios utilizando algumas variáveis como tempo de descanso entre as séries, número de repetições, pesos… 
    Hoje vou me ater a apresentar algumas variações que podem ocorrer em um mesmo exercício, através de várias formas de execução. 
    Em específico a elevação lateral, que aciona principalmente os deltóides (ombros) e trapézio:




    1 – Elevação lateral com halteres

    2 – Elevação Unilateral na polia baixa
    3 – Elevação lateral com elástico

    Não me perguntem por que diabos todas as imagens que encontrei são de caras sem camisa (para servir de estímulo na obtenção de um corpo musculoso? Para concorrer a capa do garoto fitness 2012?).

    Piadas a parte, temos três exemplos de variações que proporcionam uma intensidades diferentes ao executante e consequentemente diferentes graus de execução.

    Portanto, lembre-se: antes de aumentar os pesos, peça orientação ao profissional de Educação Física e varie o treino os exercícios!

    Fotos: Mens Fitness, Love My Gym e Info Solutions.

    Leia também





    Comentários Comentários