Traduzir para Espanhol Traduzir para Inglês

Sorteio Kit Completo de Suplementação

Fazia um tempão que não rolava um sorteio por aqui, mas o "jejum" acaba de chegar ao fim! Em parceria com o Novos Produtos, vamos sortear um super kit para o ganhador entrar em forma!

O prêmio será composto pelos seguintes suplementos: Whey protein e BCAA da marca importada QNT, Mousse Protein da Probiótica e um pré-treino para deixar seu treino insano com o famoso 1 M.R! Não é demais? :D

Sorteio Kit de Suplementos - HQSC 1

Para concorrer é bem fácil: preencha o formulário abaixo com seu nome e endereço de e-mail válido.

As participações duplicadas serão excluídas!

Como de praxe, o sorteio será feito pelo Random.Org. O resultado será divulgado a partir do dia  28/04.

Boa sorte ;)

Do Básico ao Descolado: Conheça a R. Mendes

R. Mendes - HQSC 1

Vocês já conhecem a R. Mendes? Ela é uma marca especialmente desenvolvida para o público masculino que acompanha as principais tendências para criar coleções com as melhores novidades da moda!

Na loja virtual deles há muitas opções bacanas que vão desde o mais clássico blazer até a mais descolada bermuda de sarja, sem falar das camisas com estampas de âncora, poá, xadrez, entre outros. 

R. Mendes - HQSC 3 R. Mendes - HQSC 4  R. Mendes - HQSC 6R. Mendes - HQSC 5

Para quem curte óculos com lentes espelhados não pode deixar de conferir os modelos que a R. Mendes desenvolveu em parceria com a Spektre.

A Spektre é uma marca italiana que tem know-how na criação de óculos que associam bom gosto, visual arrojado e proteção dos raios solares. Os modelos são todos confeccionados artesanalmente!

Se interessou por algum modelo? Basta acessar a loja virtual da marca para comprar! Eles entregam em todo Brasil e as compras à vista têm 5% de desconto ;)

Desfiles Não Salvarão a Moda Brasileira

Desfiles não salvarão a moda brasileira - HQSC 1

A produção da indústria de moda brasileira ainda patina no lodaçal da crise econômica que, desde 2008, assola o chão de fábrica nacional. As indústrias de produção física de têxteis, vestuário e acessórios, calçados e artigos de couro marcaram decréscimo segundo os dados do IBGE no ano passado. Em 2014 a produção física se elevou no comparativo de janeiro a fevereiro e marca leve alta no acumulado de 12 meses para a indústria que ainda é assombrada pelo mal tempo.

Em 2014, segundo o Pyxis Consumo, a estimativa é que o brasileiro gaste em consumo de bens de moda R$810/per capita, um aumento de 3% comparado à estimativa de 2013. No entanto, se posta ao lado da inflação do ano anterior, acelerados 5,91%, o crescimento é insuficiente, em outras palavras, a falta de crescimento real é preocupante tanto para a indústria, quanto para o varejo.

Há um tema presente na fala de empresários, estilistas, operários e outros envolvidos com a moda brasileira que justificaria, em partes, o atual cenário: competitividade com as marcas estrangeiras – um fragmento da ostentação enraizada há séculos na cultural nacional. Em virtude do problema, meses antes do estouro da crise mundial, o Brasil aumentou a taxa de impostos sobre importações. A estratégia protecionista é uma faca de dois gumes para a moda nacional tão dependente de importações de material para confecção. Ainda sobre a atuação da indústria local atua uma alta carga tributária e a total falta de iniciativa governamental no que toca o desenvolvimento, ou mesmo a sobrevivência, do setor no país.

Existem semanas de moda por todo o território nacional. São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Belo Horizonte e Brasília, só para citar algumas das cidades envolvidas, além de eventos de menor porte como desfiles de shoppings ou conjuntos de lojas e marcas segmentadas. O desfile é um espaço para criar desejo no consumidor, um momento de inserir o possível cliente dentro da atmosfera da coleção (ou da história que se conta dela). Com tantas semanas de moda é como se empregássemos todos os nossos esforços na criação de vitrines sem a preocupação de saber quem vai entrar na loja.

É curioso pensar que uma marca desembolsa milhares de reais sem a garantia de qualquer retorno concreto, além da mídia. Ou seja, o desfile ou semana de moda como um agente isolado é o mesmo que anunciar sua marca em um único outdoor em uma cidade onde você não tem loja. Para se ter uma ideia, das 32 marcas participantes da temporada de verão 2014/15 do SPFW – que acaba de chegar ao fim -, apenas 8 têm loja online própria, outras 7 utilizam de plataformas, como a Shop2gether, a Dafiti e a Farfetch, para comercializarem seus produtos na web. 3 marcas não possuem página no Facebook e outras 3 não atualizam suas páginas há pelo menos um mês. Também 3 marcas possuem sites inativos durante o período da noite e 2 marcas não fornecem um único endereço de loja física ou online.

Desfiles não salvarão a moda brasileira - HQSC

Quem assiste aos desfiles pela internet fora do eixo Rio-SP não tem acesso ao produto apresentado na “vitrine”. Não se pode dizer que se trata exclusivamente de marcas sob medida, quase todo mundo tem uma camiseta para vender, certo? “Falta investimento por causa dos impostos, por causa da China…”. Falta também interesse das marcas em ver o óbvio, uma vez que estamos comentando unicamente as envolvidas nas passarelas do SPFW e que, em teoria, são as marcas mais estruturadas do país.

No primeiro semestre de 2013, as vendas online de moda – compreendido aqui como a comercialização de vestuário e acessórios – foram responsáveis por 13,7% do volume de vendas totais na internet brasileira, segundo pesquisa do E-bit. De acordo com o estudo da Rakuten também no ano passado, 18,8% dos brasileiros compram mais pela internet do que em lojas físicas e 34% da população nacional já compra roupa pela web. Por último, a Hi-Mídia e a M.Sense analisaram o mercado de vendas mobile no Brasil e 1 a cada 3 usuários de smartphone declarou já ter usado o método de compra. Se ainda não ficou perfeitamente claro, o investimento por parte das marcas de moda na venda online é necessário e urgente.

Outro dado interessante de se observar é que a produção física apontada pelo IBGE (supracitada) se refere exclusivamente ao uso feminino. Dados do Censo 2010 indicam que cerca de 6,6 milhões de homens economicamente ativos têm um rendimento de mais de 5 salários mínimos. Quem vende roupas para eles? Ou melhor, quem vende moda para eles? A mesma pesquisa do E-bit (acima) também mostra que, entre aqueles que usaram a internet pela primeira vez para realizar uma compra em 2013, 45% são homens. É só juntar os dados!

“Mas o homem não deseja moda”. Bom, as hoje consumidoras de animal print não desejaram os padrões inspirados em animais antes de vê-los na rua. A educação do consumidor continua a ser a grande arma da indústria de moda contra o cenário tempestuoso pelo qual tem passado. A moda para homens continua a ser desprezada, assim como o próprio público masculino, em uma indústria que patina para se reerguer e deixa de lado mais de 6 milhões de consumidores. Ao investir em vendas online, aproximação com o cliente de todo o país e na confecção masculina de qualidade, a indústria brasileira poderia ter um sopro de vivacidade considerável. Não adianta querer vender mais e mais para um setor já tão saturado, assim como não adianta esperar por alguma iniciativa governamental contando que esta resolverá todos os problemas da indústria e varejo de moda. Entre os cursos oferecidos no Brasil, apenas um é de graduação em negócios de moda – cuja mensalidade custa o mesmo que um curso da área da saúde aqui no sul – em contraponto às dezenas de graduações em design de moda. Como viverá o negócio nas próximas gerações? Dependeremos exclusivamente da importação de profissionais?

Desfiles são essenciais em uma indústria efervescente, mas sem o investimento necessário das marcas essa publicidade é jogada no lixo. Em alguns momentos ao se analisar a moda brasileira o que se vê é uma desejo nonsense de sermos Coco Chanel. Queremos que o país todo viaje até a Oscar Freire para comprar um vestidinho preto de 3 mil reais, mas adivinha?! Tem mais loja fechando por lá do que bolsa fake da Louis Vuitton passando na frente dos tapumes. É preciso olhar para o futuro!

  Gregory Martins

Editor TrendCoffee.cc
BlogFacebookTwitter.

 

 

Por Dentro da SPFW: Confira tudo o que rolou na Semana de Moda mais cobiçada do Brasil

Post em parceria com o Gregory Martins

  Desfiles Masculinos SPFW Verão 2015 - HQSC

Acabou nesta sexta-feira a temporada de Verão 2014/15 da SPFW, onde 7 marcas desfilaram suas coleções masculinas. Do monótono preto e branco ao colorido exuberante, se viu de tudo nesta edição do maior evento de moda do país. Confira!

João Pimenta:

João Pimenta Verão 2015 - HQSC 1

O primeiro a desfilar nesta temporada foi João Pimenta, um dos nomes mais celebrados da moda para homens no país. Sua coleção tirou de uma vez por todas a imagem de moda conceitual da marca soterrada por um ar comercial recheado de sportwear.

Os ternos com recorte foram uma proposta bacana, mas insuficiente para encantar. O estilista e sua equipe brincaram com texturas e materiais tecnológicos para uma coleção mecânica e super urbana.

Cavalera:

Cavalera Verão 2015 - HQSC 1

Misturando Bali com Woodstock, a Cavalera criou uma coleção bastante desejável. Transparência, floral, folhagem, franjas… Diversos recursos foram usados nas peças que ganharam um forte teor de “seus melhores dias de férias”.

O desfile teve um quê paradisíaco e também ares de jovialidade e descontração. A Cavalera mandou bem ao apostar em um silhueta mais reta e confortável, mas não menos contemporânea como é a cara da marca.

Triton:

Triton Verão 2015 - HQSC 1

Poucas vezes se viu a Triton brincar tanto com a estrutura de suas peças de desfile. Inspirados em Positano, um vilarejo litorâneo da Itália cuja vista é deslumbrante por onde quer que se olhe, tirou a marca da zona de conforto e a fez criar e recriar conceitos.

O zíper é o elemento que acompanha todo o desfile modificando dimensões e dando nova cara às peças. A coleção desconstruída  exala o aroma quente do verão italiano e te faz pedir por férias urgentes.

Colcci:

Colcci Verão 2015 - HQSC 1

Diversão é a palavra para a coleção de verão da Colcci. Camisa estampada de gatos com blazer de palmeiras, bermudas com monkstrap (aquele sapato com fivela na lateral), listras com alfaiataria…

A  grife não economizou ao criar sua coleção – não só inspirada mas também – afogada por temas tropicais no lado mais clássico da coisa. Branco, azul e laranja por todos os lados e uma das coleções mais bonitas para os homens que a marca lançou nos últimos tempos.

Ellus:

Ellus Verão 2015 - HQSC 1

Os desfiles da Ellus são pautados pelas mudanças do seu jeans, óbvio, afinal este não é só o carro-chefe da marca, como também é seu foco de trabalho. Foi sobre ele que bandeiras em um tom cinza quase chumbo deram a cara da coleção de verão baseada em uma paleta monótona de branco, preto e uns tantos tons de cinza.

Nesta temporada a Ellus tornou suas peças mais jovens e menos certinhas. Houve espaço para bonés, mochilas e um Cauã Reymond sorridente levando o nome da marca.

Amapô:

Amapô Verão 2015 - HQSC 1

Quando uma coleção vira sinônimo de criatividade a gente logo pensa: Amapô. Não tem como não se apaixonar pela apresentação da marca que nesta temporada de verão traz temas tipicamente brasileiros em uma roupagem genuinamente contemporânea. Um bom exemplo são as cartolas e fedoras misturadas a bonés, uma expressão de que o contemporâneo está aí para misturar. Florais, amarelo-gema, jeans, sungas e estampas.

Uma coleção para pôr fim ao mimimi de “Brasil só copia a Europa” e para encher o guarda-roupa de peças inusitadas com a DNA da marca mais criativa da SPFW.

Alexandre Herchcovitch:

Alexandre Herchcovitch Verão 2015 - HQSC 1

Nunca se espera uma coleção de gosto duvidoso vinda de Alexandre Herchcovitch e também não foi dessa vez que o estilista apresentou algo que não fosse coeso em seu universo.

Destaque para o abotoamento duplo, sempre super elegante e desta vez adaptado ao verão, e para os sapatos híbridos com franja. As saias masculinas rechearam a coleção –inclusive plissadas-, meias altas também deram as caras como meiões de futebol e também teve espaço para uma cartela variada de tons vivos e para um sportwear gritante.

Por fim: essa foi a temporada de verão da SPFW e os destaques das coleções masculinas. Prevejo um verão festivo, em alguns meses poderemos constatar o que vai e o que não vai para as araras na coleção comercial que chegará às lojas.

  Gregory Martins

Editor TrendCoffee.cc
BlogFacebookTwitter.

 

 

Achados da Cavalera e Colcci

Cavalera - HQSC 2

Dei uma passada na Cavalera e Colcci para conferir as novidades desse período de transição em que sai de cena a coleção passada e chega a Outono/Inverno.

Essa fase é legal porque sempre rola uma sale, então os preços de muitas peças aparecem com descontos bem atentadores e o melhor é que algumas roupas são versáteis para qualquer época do ano.

As calças coloridas (e também estampadas, ) ainda aparecem, e para quem estava desacreditado nessa tendência, ela deve permanecer firme e forte. Veio para ficar!

Na Cavalera vi roupas que não são muito fáceis de encontrar como camisa floral (R$ 149,00) que é dificílimo de se ver por aí, além dos coturnos (a partir de R$ 300,00)

Cavalera - HQSC 1

Cavalera - HQSC 3

Cavalera - HQSC 4

Cavalera - HQSC 5

  Cavalera - HQSC 6

Cavalera - HQSC 7

Claro que as camisetas divertidas aparecem, o que é uma especialidade da Cavalera, mas agora com versões das logomarcas de grifes como Yves Saint Laurent, Lacoste e Dolce Gabbana (R$ 125,00).

A Colcci também investiu em camisetas divertidas, mas com a lógica completamente diferente: a dos desenhos animados antigos (R$ 120,00 a R$ 160,00).

A estampa de poá, tendência na qual já falei por aqui, aparece fortemente nas camisas (R$ 216 a R$ 270,00), inclusive em apenas alguns detalhes delas. Tem várias opções na loja!

Colcci - HQSC 1

Colcci - HQSC 3

Colcci - HQSC 6

Da cintura para baixo, nada muito relevante. Bastante bermuda colorida, inclusive percebi que na mesma gama de cores das camisetas, mas nada a mais em especial. Em clima do Outono, algumas botas marcam presença!

E aí, curtiu alguma peça?

Como Usar: Calça Resinada

Como usar calça resinada - HQSC 9 9

A Calça Resinada tem aparecido, mesmo que timidademente, por muitas das vezes nas coleções de lojas departamento, como Renner, Riachuelo e Zara, sendo ela uma calça jeans que possui uma película de resina, o que confere um efeito de brilho

Algumas pessoas podem confundí-la com a calça de couro, mas elas não são a mesma coisa! Pelo acabamento, é uma opção para sair da zona de conforto do jeans basicão, bem interessante para o Outono/Inverno.

O visual é um tanto mais sofisticado, muito embora ainda casual, consequentemente à noite é uma ótima ocasião para usá-la, como em festas e baladas, mas também podendo ser usada no dia-a-dia.

Escolhi algumas opções para vocês terem uma ideia de que existem diversas variações, lavagens e modelos para diferentes estilos e ocasiões.

Como usar calça resinada - HQSC

Como usar calça resinada - HQSC 3

Como usar calça resinada - HQSC 2

Como usar calça resinada - HQSC 5

Como usar calça resinada - HQSC 1

Além das lojas que já citei, é possível encontrá-la na Handbook, Triton e em muitas outras marcas!

Quem quiser deixar dicas de lojas virtuais, basta comentar por aqui :D

Pijamaternos: o Pijama com Formato de Terno

Pijama com Visual de Terno - HQSC 2 (2)

Quando a gente acha que já viu de tudo, acaba se surpreendendo. A inovação da vez é o pijama projetado como terno convencional!

Os "pijamaternos" são confeccionados com 80% seda e 20% algodão, e segundo o fabricante, são extremamente confortáveis, mas ao mesmo tempo elegantes, visualmente semelhantes aos ternos..

A proposta da marca é que ela seja uma peça para homens de negócio, em que você esteja com uma roupa para dormir, porém com a aparência chic. A pergunta que não quer calar é quem diabos quer dormir como um homem de negócio?

Pijama com Visual de Terno - HQSC 1

O terno pijama pode ser encontrado em várias cores e tamanhos e é comercializado na Amazon, por 99,95 dólares! A loja entrega no Brasil ;)

Pré-treino Iron Pump da MusclePharm

Pré-treino Iron Pump da MusclePharm - HQSC 1

Na busca por novos suplementos para dar um gás nos treinos, experimentei o pré-treino Arnold Iron Pump da MusclePharm.

O fabricante diz que esse é o primeiro pré-treino do mundo com fórmula de Arginina molecularmente modificada, o que proporciona pumps, plenitude muscular, vascularização, energia, foco e estímulo.

Em linhas gerais, ele conta com a L- Arginina Nitrato que é uma fusão de L-arginina e ácido nítrico que dilatam os vasos sanguíneos para ajudar a promover a entrega de nutrientes e ampliar o desempenho, levando à melhora de força, recuperação e ganho de massa muscular.

A sensação no treino é de que você pode ir além, parece que os músculos não se cansam como de rotina, logo dá para aumentar os pesos e manter as repetições habituais ou aumentar o número de repetições com os pesos de costume.

Pré-treino Iron Pump da MusclePharm - HQSC 2

O ponto fraco do produto: não percebi diferença significativa na disposição como um todo, principalmente em dias de cansaço! Apesar de maior resistência, não senti mais concentração e foco, ainda mais se comparado ao Assault, também produzido pela MP.

A embalagem vem com 180 gramas. O ideal é diluir um scoop (6g) em uma dose com 250ml de água antes do treino de musculação. O sabor é cítrico, não é gostoso, mas também não chega a ser ruim.

No Brasil é comercializado a partir de R$ 160,00, o que não chega a ser um preço super justo, ainda mais quando sabemos que o mesmo suplemento custa 30 dólares nos EUA. Porém, cumpre o que promete, em especial o que diz respeito à vascularização.

Lacoste e Atmos Lançam Tênis que Brilham!

Lacoste e Atmos Sapatos que brilham no escuro - HQSC 7

Sapato que brilha no escuro?! Então, essa foi a ideia que uniu a Lacoste e a japonesa Atmos em uma parceria que retransformou a versão do tênis Marcel Chunky da marca.

A linha Glow recebe uma estampa que referencia aos dentes de crocodilo, mascote e logo Lacoste, que ao estarem no escuro simplesmente brilham.

Confira os modelos:

Lacoste e Atmos Sapatos que brilham no escuro - HQSC 6

Lacoste e Atmos Sapatos que brilham no escuro - HQSC 2

Lacoste e Atmos Sapatos que brilham no escuro - HQSC 3

Lacoste e Atmos Sapatos que brilham no escuro - HQSC 5

Lacoste e Atmos Sapatos que brilham no escuro - HQSC 4

Apesar das cores sóbrias, a estampa por si só já é um difrencial. Quando no escuro, os tênis ficam pra lá de ousados! Quem teria coragem de usar?

Para quem se interessou, eles já estão disponíveis nas lojas da Lacoste e na loja virtual da japa Atmos por ¥10,800, ou aproximadamente R$ 237,00.