Homens que se Cuidam

ler posts recentes

FINASTERIDA E EFEITOS COLATERAIS: Será que dá ruim?

Beleza Masculina Vídeos 06 novembro 2018 | Por Juan Alves

Você conhece a finasterida? Medicamento muito comum no tratamento da calvície masculina! E você provavelmente já ouviu falar sobre a finasterida e efeitos colaterais que alguns homens sentem ao tomá-la? É sobre isso que iremos conversar hoje.

Mas antes de chegar ao ponto da finasterida e efeitos colaterais possíveis vamos explicar melhor sobre essa substância e como ela age no organismo. Se liga!
 

Finasterida Vs. Calvície

A temida calvície geralmente tem como causa a genética (alopecia androgenética) e o problema costuma ser bem frequente, iniciando com a perda de densidade dos fios, especialmente nas entradas, indo até a perda progressiva e expressiva dos fios.

Um dos tratamentos mais conhecidos para evitar a queda dos fios é uma medicação chamada finasterida porque ela age diretamente no couro cabeludo bloqueando a ação da enzima 5-alfa-redutase, responsável por transformar a testosterona em dihidrotestosterona – hormônio relacionado ao afinamento dos fios.

A substância como dá pra perceber não promove o crescimento dos fios né? Assim, o remédio tem como foco conferir mais densidade aos cabelos e evita a perda deles.

A dosagem mais comum é de 1mg, sendo 1x ao dia. Nesse 1 ano tomando eu não senti que as entradas aumentaram, nem recuaram, então ele parece estar funcionando preventivamente e esse efeito ficará mais consolidado com mais anos de uso.

 

Finasterida e efeitos colaterais

Segundo o fabricante cerca de 1,5% dos usuários de finasterida sofrem com redução na produção do esperma e/ou dificuldade pra manter a ereção! Eu estava usando há 1 ano e resolvi parar por alguns meses pra analisar se havia diferença.

Nas primeiras semanas sem tomar o medicamento senti uma maior libido, ou seja, o desejo sexual havia aumentado sutilmente. No primeiro momento fez sentido já que o remédio reduz parcialmente a ação da testosterona.

É muito difícil saber se o líquido ejucalatório se tornou maior pela ausência do medicamento porque a produção do sémen está estreitamente associada a vários fatores como tesão, estímulos sexuais, estresse, tempo sem ejacular… Porém, o que dá pra afirmar é que senti durante esses meses um volume mais regular.

Também notei a ereção flutuando, mas nada de outro mundo, isso porque ficar relacionando desejo sexual reduzido ou normal com a medicação não colabora em nada para manter o membro amigo em pé né? rsrs

Aqui vai um truque! Para quem associar a finasterida e efeitos colaterais é reduzir a dosagem para 0,5mg ao invés de suspender a medicação de uma só vez.

 

Lembrando que essa minha experiência é puro achismo já que somente estudos científicos podem esclarecer como essa substância influencia nosso organismo!

De qualquer forma, é importante tentar perceber como funciona nosso próprio corpo e estar atento – sem neuras – as possíveis modificações.

Ah! E não se esqueça que finasterida é medicamento, por isso consulte um médico dermatologista para que ele possa te prescrever caso você de fato precise 🙂

» Acompanhe clicando aqui os tratamentos contra calvície que tenho recorrido!

Leia também

Comente pelo WordPress